segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Pawel Kuczynski

O artista polaco Pawel Kuczynski é um génio na arte das ilustrações críticas. As suas obras remetem-nos para factos históricos e sociais, como a fome, o trabalho infantil, a exploração, a corrupção política, a desigualdade social e a guerra. O artista já ganhou diversos prémios internacionais.
Vejamos algumas delas



















34 comentários:

  1. Neste caso é mesmo verdade que uma imagem vale mais que mil palavras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por essa mesma razão, reduzi o texto ao mínimo.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  2. A maioria, se não a totalidade,das belas ilustrações que nos apresentas, já as conhecia do blog do nosso amigo Carlos do Rochedo, na rubrica "Arte Urbana".
    São pinturas maravilhosas, todas elas envolvendo uma crítica historico-politico-social única. Curiosamente, só agora soube quem foi o autor. Obrigada, João!

    Beijinhos


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Janita
      eu já tenho visto algumas imagens deste artista na net, e possivelmente no blog do Carlos, embora eu só o siga há pouco tempo.
      No entanto, e isto é uma pura opinião pessoal, eu não incluiria este tipo de ilustrações ou pinturas, no conceito de arte urbana, que para mim, tem um sentido mais restrito, de uma pintura ou outra forma de arte com que se preenche um espaço físico, seja uma porta, uma parede de uma casa, umas escadas, eu sei lá.
      Para ilustrar melhor esse meu conceito pessoal, convido-te a dar uma "olhadela" à minha pasta de "Urban Art", no site que tenho no Pintrest
      http://pinterest.com/joaoroque/urban-art/
      Beijinho.

      Eliminar
    2. Lá irei com prazer, João.
      Vou colocar o link nos meus favoritos!

      Beijinho.

      Eliminar
    3. Acho que vais gostar, Janita.
      Há lá fotos fabulosas e curiosamente duas de edifícios na Covilhã.
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Olá João. É sempre um prazer receber-te no meu cantinho. Realmente o meu blogue tem estado um bocado esquecido. Mas tenho imensas ideias sobre novos temas, o tempo é que me falta. As minhas visitas também são cada vez mais raras e peço-te desculpa por isso. Estou submersa com novas tarefas mas tenho que arranjar maneira para voltar a ter tempo para as escritas. Estive a ler estes teus ultimos textos e achei curioso escreveres sobre o Al Berto. O Lunario foi o meu livro de cabeceira durante muitos anos ))
    Beijinho grande e parabens pelos teus ultimos trabalhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana
      que maravilha "ver-te" por aqui.
      Tenho muita pena que rareis tanto as tuas postagens, pois o teu blog é das coisas melhores que já vi na blogosfera.
      Tanto que lá aprendi sobre tanta coisa.
      Obrigado pelas tuas amáveis palavras.
      Beijinho.

      Eliminar
  4. Adorei :)

    e a música é qualquer coisa

    abraço amigo joão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francisco
      tinha que pôr uma música de um polaco; impossível encontrar melhor que Chopin...
      Abraço amigo.

      Eliminar
  5. Que momento agradável, entrar, hoje, aqui, e correr o cursor pela galeria ao som de uma valsa-concerto de Chopin. Os meus eleitos: o primeiro e o político-esgoto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alex
      eu gosto de todas; aliás tive que fazer uma selecção, pois as imagens disponíveis são muitas.
      Mas gosto especialmente das que têm crianças.
      Sobre a música. é impossível não gostar...
      Abraço amigo.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Miguel
      duas palavras que dizem tudo.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  7. todas são simbólicas, ilustram as desigualdades de uma forma magistral. a última, antepenúltima, a segunda, por exemplo. muito boa escolha musical.
    boas férias :)
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Margarida
      sim, o simbolismo é a cracterística mais marcante deste artista. Vê-se o que ele quer mostrar (criticar).
      Também acho muito adequada a escolha musical.
      Beijinho.

      Eliminar
  8. Apenas para agradecer a revelação da autoria da imagem dos implacáveis!
    Um abraço grande, João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João
      é o mínimo que se pode fazer quando se reproduz uma obra de alguém.

      Uma outra questão, fora do contexto: deixou de haver comentários no teu blog?

      Abraço amigo.

      Eliminar
    2. Força das circunstâncias - nada contra o meu único comentador! Depois pessoalmente explico-te. Mas até lá, bons próximos reencontros, apertados e sentidos!

      Eliminar
    3. João
      ok, respeito isso. Apenas fiquei sem saber se era eu que não conseguia chrgar aos comentários.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  9. Adorei as obras, salvei uma para ser fundo do meu pc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Frederico
      olha que honra, essa...
      Agora fiquei curioso em saber qual?
      Abraço amigo.

      Eliminar
    2. Interessante. Não conhecia.
      Abraço.

      Eliminar
  10. Arrakis
    é um tipo diferente de ilustração; crítica e muito oportuna.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  11. Caro João, gostei muito do post, ilustrações deverás perspicazes, mas sabe que o que me tocou bastante foi a música, deu-me tanta serenidade e tive saudades de assistir a uma bela peça, num teatro repleto de história.
    Obrigada pelas partilhas sempre tão sábias e serenas.
    Abraço doce
    Espero que esteja tudo bem.:D

    ResponderEliminar
  12. Sairaf
    estou muito satisfeito pelo acolhimento que esta música tem tido.
    Das imagens, já sabia que agradariam, mas da música, não pensava assim.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  13. Sérgio
    e eu fico satisfeito por isso.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  14. Adoro o trabalho dele!!!!!!!
    Uma maravilha!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo
      como te disse no comentário que te deixei na postagem que lhe dedicaste, aqui está a "entrada" que tinha programada sobre Pawel Kuczynski.
      Beijo.

      Eliminar
  15. Merece os prémios porque a sua obra é excelente. Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Conhecia algumas das ilustrações, outras não! De grande expressividade! Quase impossível seleccionar uma.
    Há leitores que fazem alusão à música, mas eu não consegui ouvir nada... certamente já retiraste.
    Tinha saudades de vir conversar contigo. Mas sabes, tenho momentos de muito trabalho, com prazos fixos, e nestas alturas, não dá sequer para passar pelos amigos. E, quando tenho algum tempo livre, fujo do computador. E vou espairecer, ver gente, tomar um café com um livro sempre por perto, olhar o mar.

    Sempre atento ao que vou publicando. Só posso agradecer, João.

    ResponderEliminar
  17. Fragmentos
    a música era um extracto de uma "polonaise" de Chopin, muito bela...
    Beijinho.

    ResponderEliminar

Evita ser anónimo, para poderes ser "alguém"!!!